MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

IV Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática



O IV Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática com o Tema Docência Universitária: O papel do professor de Matemática nas Licenciaturas visa dar continuidade às discussões promovidas pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática Regional Bahia  SBEM/BA, iniciada em 2003 com a Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM) no I Seminário Nacional de Licenciaturas em Matemática, na Universidade Católica do Salvador –  UCSAL. Em 2006 a SBEM/BA promoveu o I Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática na UESC, Ilhéus, em parceria com as três universidades estaduais (UEFS, UNEB e UESB) e a UCSAL.



Em 2008, a discussão a nível estadual, realizada no II Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática na UNEB, Campus IX, Barreiras, teve como Tema (Re)definindo os rumos para Formação de Professores de Matemática na Bahia. Em 2010, foi realizado o III Fórum Baiano das licenciaturas em Matemática que ocorreu na UNEB Campus VI, na cidade de Caetité, tendo como objetivo analisar e discutir a qualidade da Formação nas Instituições Baianas. A partir da compreensão das concepções e práticas curriculares circulantes nos espaços acadêmicos buscou-se realizar um evento com professores e coordenadores de Colegiados das Instituições baianas, públicas e particulares para obter um retrato a partir da visão destes sujeitos..

A SBEM/BA acredita que é preciso levar os resultados das pesquisas científicas às escolas, fortalecer a parceria Universidade-Escola, pesquisador-professor, principalmente, com a escola pública.


Objetivo Geral

Analisar e discutir as contribuições da docência universitária à formação do professor de Matemática da Educação Básica, além de permitir a difusão de conhecimentos desenvolvidos nos campos de formação desses profissionais.


Público-alvo

- Coordenadores dos cursos de Licenciatura em Matemática do estado da Bahia;
- Professores que ensinam Matemática no ensino Fundamental e Médio;
- Docentes de cursos de Graduação e Pós-graduação nas áreas de Educação Matemática, Matemática e Matemática Aplicada;
- Alunos de cursos de Licenciatura em Matemática.

Local

Universidade do Estado da Bahia, Campus VII Senhor do Bonfim
Rodovia Lomanto Junior – BR 407, Km 127

Contato

(74)3541-4071 Ramal: 8919
E-mail: 4forumat2@gmail.com
Maiores informações em:http://www.uneb.br/forumat4/sobre/

sábado, 29 de setembro de 2012

Pensar em sexo deixa você mais inteligente


Já viu essa? 


A dica é do pessoal da Universidade de Amsterdã (Holanda).

Primeiro, eles fizeram parte dos voluntários, homens e mulheres, pensarem em sexo. Depois, colocaram todo mundo para resolver problemas de lógica e matemática. E, surpresa, o desempenho dos que estavam com ideias safadinhas na cabeça foi melhor.


É que, segundo os cientistas, quando pensamos em sexo, nosso cérebro ativa uma área “projetada” pela evolução para ajudar a gente a se reproduzir. Daí em diante, começamos a prestar mais atenção nas outras pessoas, a achá-las especialmente atraentes, a tentar identificar sinais de interesse sexual quando flertamos com alguém, e por aí vai.

Essas mudanças mentais, que acontecem naturalmente para favorecer a reprodução, intensificam a nossa atenção e o nosso foco nos detalhes, o que deixa a percepção mais afiada e acaba favorecendo também o raciocínio, explica o estudo . 

Olha que beleza.

Thiago Perin 
17 de fevereiro de 2012

Referência:

Site: <http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/pensar-em-sexo-deixa-voce-mais-inteligente/> Acesado em 29/09/2012.
Montagem da Imagem: Matheusmáthica


V Semat da UESB - Campus de Jequié


V Semana de Matemática
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Campus de Jequié

De 15 a 18 de Outubro de 2012 


No ano de 2004, foi realizada a I Semana de Matemática no Campus Universitário de Jequié. A partir de então, a cada dois anos, aconteceram no mesmo campus, a II, III e IV Semanas de Matemática. Constaram na programação das mesmas: mini-cursos, palestras, oficinas, debates, pôsteres, painéis e programação cultural; o evento vem contando com expressiva participação da comunidade acadêmica, professores e alunos da educação básica, tanto na condição de ouvintes quanto na apresentação de trabalhos.

Destacamos que na III Semana de Matemática, ocorrida no ano de 2008, houve um aumento no número de participantes, num total de 607, dentre estes, 98 da educação básica, e também em cada atividade programada do evento, visto que pudemos contar com uma maior participação de pesquisadores, com importante atuação em suas áreas de pesquisas. Estes proferiram palestras, mesas redondas e interagiram com os alunos e professores.

Estas atividades são oportunidades para continuar a formação acadêmica, seja para quem esteja cursando a graduação, ou já a tenha concluído. O que nos permite, enquanto Universidade, contribuir para com a comunidade acadêmico-científica e com os professores e alunos da Educação Básica, oportunizando aproximar professores e/ou pesquisadores da Matemática e áreas afins, das diversas instituições, possibilitando a formação de grupos de trabalho, pesquisa, trocas de experiências e a popularização da Matemática e as demais ciências.


Público-Alvo:  

Alunos e professores da educação básica da rede de ensino pública e privada da microregião de Jequié, alunos e professores da UESB e comunidade em geral.

Datas Importantes

Evento: De 15/10/2012 a 18/10/2012 
Período de inscrições: De  01/09/2012 a 15/10/2012

Local

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia 
Departamento de Química e Exatas
Campus de Jequié 
Av José Moreira Sobrinho, s/n, Jequiezinho, 45206-190

Contatos

Departamento de Química Exatas (73) 3528-9621
Colegiado do Curso de Matemática (73) 3528-9642
Laboratório de Educação Matemática (73)  3528 9650
Fax: (73) 3525-6683


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

XXX Encontro de Físicos do Norte e Nordeste



XXX Encontro de Físicos do Norte e Nordeste 

De 05 a 09 de novembro de 2012 


Sejam bem vindos à trigésima edição do EFNNE em Salvador! Estamos de braços abertos para acolher todos os participantes ao nosso evento, que será realizado no Bahia Othon Palace Hotel, no bairro de Ondina, em Salvador. O XXX EFNNE constará de dois momentos dedicados a atividades para professores de física do ensino médio (de 5 a 7 de novembro) e a atividades de pesquisa nas mais diversas áreas da física (de 7 a 9 de novembro).

A primeira edição do EFNNE foi organizada em 1983, por iniciativa de diversos docentes de universidades da região Nordeste (eram os Encontros de Físicos do Nordeste). Os eventos continuaram a ser organizados de maneira espontânea até metade da década de 1990, quando passou a incluir explicitamente os colegas da região Norte, e a integrar o calendário de Reuniões Anuais organizadas pela Sociedade Brasileira de Física da SBF. Entre uma média de 10 eventos, os EFNNE ocupam já há muitos anos o segundo lugar em número de participantes, chegando a cerca de 1000 participantes. Nestas três décadas de existência os EFNNE’s já foram organizados em todos os estados da região nordeste, e uma vez no estado do Pará. A Bahia hospeda pela terceira vez uma edição deste evento, tendo se encarregado anteriormente de organizá-los nos anos de 1995 e 2004.

Os EFNNE desempenham um papel importantíssimo para o desenvolvimento da física nas regiões norte e nordeste do país. Sua presença aumentou sobremaneira a oportunidade de interação entre pesquisadores das diferentes instituições destas regiões, a possibilidade de organização de redes de cooperação acadêmica, e a articulação de ações político-científicas em prol do desenvolvimento de nossa região. Os EFNNE estimulam a participação de estudantes de graduação e pós-graduação que ficam atualizados com os mais recentes progressos da física obtidos no Brasil e no mundo. Para os estudantes, as palestras tutoriais em alguns temas específicos e a oportunidade de apresentarem seus primeiros resultados de pesquisa têm importância indiscutível.

Os EFNNEs congregam principalmente físicos das diversas áreas da física e cientistas de áreas afins. Contribuições interdisciplinares são bastante freqüentes, sendo que as seções temáticas ligadas a geofísica, meteorologia, materiais, etc. são bastante concorridas. Os EFNNE contam também com uma programação específica para professores do ensino médio que trabalham em cidades próximas a sede do evento, possibilitando um aprofundamento no conhecimento específico da Física e em procedimentos prático-metodológicos, com mini-cursos de atualização e treinamentos em oficinas, bem como atividades sócio-culturais.

Será um prazer receber a nossos colegas participantes da XXX edição do EFNNE. Estejam cientes de que estaremos sempre à disposição para sanar dúvidas e acolher sugestões. Esperamos confiantes em nosso esforço conjunto, oferecer um encontro marcado por um ambiente acolhedor e produtivo. 

Sejam bem vindos!


Data: 05 a 09 de novembro de 2012 
Local: Bahia Othon Palace Hotel, Salvador-BA
Tel: (71) 3283 6640
Maiores informações em:http://www.sbfisica.org.br/~efnne/xxx/

Número da besta

Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. 
Seu número é seiscentos e sessenta e seis. 
Apocalipse, 13:18


Você sabia que seiscentos e sessenta e seis é o resultado da soma dos quadrados dos sete primeiros números primos: 


++++ 11² + 13² + 17² = 666






XIII SEMAT da UEFS



XIII Semana de Matemática da UEFS – SEMAT

De 22 a 26 de Outubro

O que é a Semana de Matemática da UEFS?

A Semana de Matemática da Universidade Estadual de Feira de Santana – SEMAT, é um evento que promove o debate e a divulgação de pesquisas da ciência matemática e de áreas afins, além de proporcionar interações com os demais campos da área de educação e das licenciaturas.

Como continuidade de uma prática do Diretório Acadêmico de Matemática Profª Maria Hildete de Magalhães França, a gestão Atividade (2012-2013) vem promover a realização da XIII SEMAT, através da apresentação de trabalhos científicos do ensino superior da Bahia e dos demais estados.

Nossa proposta visa difundir o conhecimento, valorizar o esforço de despertar a percepção para as novas oportunidades da matemática nas áreas afins. As ações acadêmicas voltadas para o futuro buscam garantir o desenvolvimento integrado do indivíduo, tendo em conta, não só os aspectos de formação profissional, mas, sobretudo, a preparação para o pleno exercício da cidadania.

Nesse sentido, a 13ª edição da SEMAT traz como tema: "25 anos de Matemática na UEFS: O Conhecimento Acadêmico e o da Educação Básica" e buscará a promoção de discussões e debates com renomados especialistas sobre o ensino e à formação de professores de Matemática. Sendo assim, esse espaço vai promover aos estudantes, professores e pesquisadores novos horizontes no sentido de inserir e/ou conhecer estratégias de ensino e linhas de pesquisa.

Desde já, agradecemos a todos que venham colaborar com a realização deste evento!




Inscrições: De 01 de agosto a 16 de outubro de 2012
Promoção: Inscrições até o dia 30 de setembro de 2012 dará direito a mochila e camisa!
Local: UEFS/Feira de Santana-BA


Carioca de 15 anos ganha medalha de ouro em Olimpíada Internacional de Matemática


Medalha de ouro em Olimpíada Internacional de Matemática estuda mais de 13 horas por dia 60

Felipe Martins
Do UOL, no Rio de Janeiro
Em 28/08/2012 às 06h00


O carioca Daniel Santana Rocha tem apenas 15 anos, estuda em escola pública, é filho de professores e ganhou, no mês passado, a medalha de ouro na Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa, disputada em Salvador. 

O menino tímido, de fala mansa, se dedica com afinco aos estudos. Em casa, são dez horas, do começo da manhã até o final da tarde, divididas em seis horas para a matemática e o restante para as demais disciplinas. À noite, vai à escola. Aluno do primeiro ano do ensino médio no Colégio Estadual Bernardo Sayão, tem aulas das 18h30 às 22h.

O talento com os números foi descoberto com a ajuda do pai, Fernando da Rocha. Para não deixar o filho sozinho em casa, passou a levá-lo ao curso de aperfeiçoamento para professores de ensino médio do Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada).

Com apenas 11 anos, Daniel já demonstrava facilidade em resolver cálculos complexos. Incentivado pelos professores do Impa, o estudante começou a participar de torneios. No primeiro, a Olimpíada de Matemática do Estado do Rio de Janeiro, já saiu com uma medalha de prata, uma surpresa até mesmo para ele.

“Eu não esperava ganhar a medalha de prata porque eu comecei a estudar para as Olimpíadas apenas um mês antes”, disse Daniel. O resultado seguinte, um bronze na Olimpíada Brasileira, o deixou ainda mais motivado. “Eu fiquei impressionado com o resultado e ainda mais motivado a continuar estudando”, declarou.

Trânsito e cansaço

O estudante mora com os pais, professores, em um apartamento humilde em Jacarepaguá, bairro da zona oeste do Rio. Daniel continua assistindo, agora como convidado, às aulas no Impa, no Jardim Botânico, zona sul do Rio.  Para tanto, em dias de trânsito intenso, leva cerca de três horas para chegar ao curso na zona sul do Rio, perdendo até seis horas por dia em engarrafamentos.

“Ele fica muito cansado”, disse o pai do garoto. “O trajeto é estressante. Eu fico tentando vários caminhos para chegar lá o mais rápido possível. Se a gente tivesse melhor condição financeira, moraríamos mais perto do Impa. A gente tem o sonho de ficar mais próximo, mas o aluguel na zona sul é muito caro”, completou.


Estudante quer ser pesquisador

Pai e filho quando estão na escola são professor e aluno. O menino ajuda os colegas e troca informações com os outros professores de matemática e física, disciplina em que também mostra desenvoltura. “Ele ajuda e estimula os alunos. A aula fica mais animada. Às vezes, os meninos brincam pedindo para o Daniel dar aula, que a minha aula está muito ruim”, contou o pai orgulhoso. “Meu pai me ajuda muito, como professor e como orientador”, elogiou Daniel.

Como muitos adolescentes, Daniel tem suas diversões preferidas. “Gosto de videogame, de passear no shopping. Eu estudo durante a semana para liberar meus sábados e domingos”, disse. Sobre a rotina diária de dez horas de estudo, o pai de Daniel afirma que nada é imposto. “Esse é o prazer dele”, definiu. “No Brasil, existe um pouco de preconceito com o estudo. Em muitos países adiantados, o mínimo é dez horas de dedicação”, completou.

Para o futuro, o jovem talento já tem uma vontade explícita. “Quero ser pesquisador. Gosto da área de análise, do estudo dos sistemas dinâmicos”, contou.

A Olimpíada

A Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa é disputada entre estudantes de Portugal, Angola, Cabo Verde, Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, em um total de 32 competidores. Diferentemente de uma competição esportiva, nas Olimpíadas da Matemática é possível mais de uma medalha de ouro, levando em questão o nível de excelência dos competidores.

As provas foram realizadas em dois dias e os estudantes tiveram três horas e meia para resolver três problemas propostos pelos países participantes envolvendo geometria, álgebra, combinatória e teoria dos números. Três estudantes ganharam a medalha de ouro, dois do Brasil e um de Portugal.

O estudante agora tem por objetivo disputar a maior competição de matemática mundial, a IMO (International Mathematical Olympiad), que acontece anualmente. A próxima edição acontece em julho de 2013, na Colômbia. O Brasil já foi escolhido para sede no ano de 2017.



Referência:

Disponivel em: <http://educacao.uol.com.br/noticias/2012/08/28/medalha-de-ouro-em-olimpiada-internacional-de-matematica-estuda-mais-de-13-horas-por-dia.htmAcesso em: 10 de setembro de 2012.
Imagem: Felipe Martins
Montagem: Matheusmáthica

Cruzamentos de circuferências com soma igual a 14


As circuferências pequenas indicam pontos de cruzamentos das circunferências maiores. Escreva, nas circunferências pequenas, números de 1 a 6 de tal forma que em cada circunferência maior a soma dos números seja igual a 14.





Referência:

Montagem: Matheusmáthica


Preenchendo os quadrinhos


Cada quadradinho na figura deve ser preenchido com um sinal de adição (+) ou de multiplicação (×). Qual é o maior valor possível da expressão obtida depois de preenchidos todos os quadradinhos? 




Referência:


Prova da 6ª Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. Ministério da Educação, Nível 3 - 1ª. Fase. 2010. 
Montagem: Matheusmáthica

Os 4 círculos claros e os 4 escuros

Na figura, x é a média aritmética dos números que estão nos quatro círculos claros e y é a média aritmética dos números que estão nos quatro círculos escuros. Qual é o valor de x −y ? 




Referência:


Prova da 6ª Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. Ministério da Educação, Nível 3 - 1ª. Fase. 2010. 
Montagem: Matheusmáthica

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Os tijolos do triângulo

Coloque os números que falta nos tijolos que completa o triângulo.





Referência:
Blog: CEF - Assistente Administrativo
Montagem e adaptações: Matheusmáthica

Subtração de 2 números inteiros

O esquema abaixo representa a subtração de dois números inteiros, na qual alguns algarismos foram substituídos pelas letras X, Y, Z e T. 


 
Obtido o resultado correto, a soma X + Y + Z + T é igual a:





Referência:

FCC- TRT/PE
Montagem: Matheusmáthica

sexta-feira, 6 de julho de 2012

A importância da Matemática em nossas vidas


Sem matemática… ninguém anda


Os meios de transportes estão, a cada dia, mais presentes em nossas vidas.
Sua importância em nosso dia-a-dia trouxe a necessidade de novas tecnologias que os tornem mais seguros, eficientes e menos poluentes.

Só com a ajuda da Matemática foi possível construir o primeiro motor, o primeiro trem, o primeiro avião.

Organizar os dados sobre o fluxo de veículos nos milhares de cruzamentos das grandes cidades, determinar o melhor tempo para abrir e fechar cada sinal de trânsito, os minutos entre a chegada e a partida de cada vagão do metrô, são tarefas difíceis demais que não poderiam ser feitas sem a Matemática e os computadores.

Tudo isto ajuda a reduzir bastante o tempo perdido em nossa locomoção.

E vamos em frente que o sinal abriu.


Sem matemática… ficamos no escuro


Em casa, nas escolas, no trabalho, todos precisamos de energia elétrica.
E para que ela chegue até nós é feito um levantamento de toda a energia ofertada no país, dos custos para transmiti-la e distribuí-la e do nível de necessidade dos consumidores.

É a Matemática que permite realizar todos esses cálculos e selecionar as propostas de produção das várias usinas e deste modo, se obter a maior segurança no abastecimento e os menores preços para os usuários.


Sem matemática… ninguém vive


Alguém pode até argumentar que a Vida - e posteriormente o Homem - surgiu muito antes de se conceber o que era Matemática.

Entretanto, com o aparecimento da Medicina e Ciências correlatas, como a Farmacologia, a Bioquímica e o Sanitarismo, isso muda de figura.

O estudo do comportamento das endemias e da evolução de inúmeras doenças, como as degenerativas, é dependente da Matemática.

Ela se encontra nos novos medicamentos, nas técnicas de diagnóstico por imagem, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética, e nos equipamentos dos modernos centros cirúrgicos, que permitem que um médico realize uma cirurgia à distância.

A Matemática está presente até no cálculo do grau de seus óculos - se é que você precisa deles.

Na próxima consulta a seu oftalmologista, peça que ele troque o painel de letrinhas por números; tem mais a ver.


Sem matemática… não saímos do lugar


O Homem teve de levar os seus olhos até as profundezas do espaço para obter estas imagens.

Não teria como fazê-lo sem a Matemática.

Também escondidas na beleza destas fotos há várias outras tecnologias, todas elas dependentes e ligadas à Matemática como, por exemplo, processamento de imagens, comunicação de dados e correção de erros e códigos.

A Matemática contém seus mistérios, mas também ajuda a desvendar outros.


Sem matemática… ninguém come


Pode parecer estranho temperar comida com números mas, ao contrário do que se possa pensar, a Matemática está presente no dia-a-dia do Campo.

Ela ajuda a melhorar o aproveitamento da terra e das sementes, otimizar a irrigação, adaptar a topografia dos terrenos e a estudar o clima.

Além disso, a agricultura moderna também depende muito de tecnologia.

Em equipamentos como colheitadeiras, em silos e moinhos, em fertilizantes e remédios, e até no desenvolvimento de novas espécies, adaptadas às diferentes condições climáticas, estão presentes tecnologias que não seriam possíveis sem a Matemática.

Pense nisso na próxima vez que estiver jantando.


Sem matemática… ninguém fala


O surgimento da internet e dos novos meios de telecomunicações constitui, sem dúvida, a grande revolução tecnológica da virada do milênio e vai mudar a vida de todos nós.

Através dos computadores, todo planeta até agora permanentemente ligado e trocando informações. Por trás dessa revolução, a Matemática teve, e continua tendo, um papel crucial.

Matemáticos foram fundamentais para a invenção e para o desenvolvimento do computador e do telefone celular.

A instalação das redes de comunicação e a administração do enorme fluxo de informações que elas transportam envolvem problemas matemáticos da maior relevância. Por isso, matemáticos estão ajudando a desenvolver o software que faz a internet e a telefonia celular funcionarem.

Autor: Desconhecido


Referência:

Blog: Interagindo coma Matemática
Montagem: Matheusmáthica

Pressionar 3 vezes a tecla log x

Numa certa calculadora científica, quando você tenta encontrar o logaritmo de um número negativo ou nulo, ela da uma mensagem de erro. Então você digita um número inteiro e, após pressionar três vezes a tecla log x, apareceu a mensagem de erro. Se o número digitado por você fosse multiplicado por 10 e a tecla log x fosse pressionada seguidamente, a mensagem de erro apareceria após pressionar:






Referência:

Bianchini, Edwaldo. Paccola, Herval. Matemática 1. Ed Mordena

Apertar seguidamente a tecla log

Numa certa calculadora, quando você fornece um número negativo ou nulo e pressiona a tecla log, ela simplesmente "trava" e não executa mais nada até que seja "destravada". Suponha que você forneça a essa calculadora um número N inteiro e positivo. Quantas vezes você pode apertar seguidamente a tecla log antes que a calculadora "trave", nos casos seguintes:


a) N = 100? 

b) N = 10?

c) N tem seis algarismos?
 
d) N tem tres algarismos?




Referência:

Bianchini, Edwaldo. Paccola, Herval. Matemática 1. Ed Mordena

O número 987654321

Numa certa calculadora científica, quando você tenta encontrar o logaritmo de um número negativo ou nulo, ela da uma mensagem de erro. Suponha que nessa calculadora você digite o número 987654321 e pressione seguidamente a tecla log x. A mensagem de erro aparecera após essa tecla ser pressionada quantas vezes?







Referência:

Bianchini, Edwaldo. Paccola, Herval. Matemática 1. Ed Mordena

quinta-feira, 5 de julho de 2012

O mesmo cofre

Três sócios utilizam o mesmo cofre para depositarem o dinheiro da sociedade. No entanto, a confiança que reina entre eles é bastante reduzida. Resolvem colocar várias fechaduras no cofre e distribuir as chaves de forma que: 

- Nenhum deles possa abrir a porta sozinho; 

- Dois deles possam, em conjunto, utilizar as chaves que possuem para abrir a porta. 

 Quantas fechaduras são e como são distribuídas as chaves pelos 3 sócios?



Referência:

Site: José Matias 

Os 11 bois brancos

O orgulho de Adriano eram os seus 11 bois brancos. Após a sua morte, a mulher fez saber que o marido queria os bois partilhados entre os filhos Alan, Alex e Aleson, de modo que ficassem com 1/2, 1/4 e 1/6 respectivamente. Não querendo ter de retalhar nenhum dos animais, foram consultar o oráculo da aldeia. Este depressa acabou com os problemas desta família acrescentando o seu único boi aos outros 11. Depois entregou 6 ao Alan, 3 ao Alex, 2 ao Aleson e, finalmente, tirou de volta o seu próprio boi. Há aqui, no entanto, qualquer coisa que não bate certo. O que será?







Referência:

Site: José Matias 
Adaptação: Matheusmáthica

O testamento do tio Sousa

O tio Sousa deixou em testamento, aos seus três sobrinhos, um terreno com 1419 metros quadrados. O testamento dizia 'O Marcos ficará com mais 54 metros quadrados do que o Lucas; o Lucas ficará com mais 39 metros quadrados do que o João'. Com quantos metros quadrados ficou cada um?






Referência:

Site: José Matias 
Adaptação: Matheusmáthica

Ao sair de casa

Um homem saiu de casa e gastou numa loja 1/3 do dinheiro que tinha, gastou noutra 1/5, quando voltou para casa tinha R$ 21,00. Quantos reais tinha inicialmente?







Referência:

Site: José Matias

Gatos e patos

Num terreno, existem 21 animais, entre gatos e patos. Sabendo que o total de patas dos animais é de 54, qual o número de gatos e o número de patos? 






Referência:

Site: José Matias

Por que somos tão ruins em matemática?

Para brasileiro gostar da disciplina, mudança tem de começar na sala de aula das faculdades que formam os futuros docentes



A aversão é tanta que o senso comum aponta: o brasileiro já nasce sem vocação para aprender matemática. O estudo na área começa com professores sem formação específica, que em geral não gostam da disciplina, e acaba com docentes que têm conteúdo para transmitir, mas não didática. No fim do ensino médio, exames confirmam o despreparo.

Avaliação. Aula no cursinho mantido pela Poli durante preparação para o Enem


O resultado do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), divulgado no mês passado, mostrou que 57% dos alunos terminam o ensino médio com rendimento insatisfatório em matemática.

Os números do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), que avaliou o desempenho em matemática de jovens na faixa de 15 anos, colocaram o Brasil na 57.ª posição em um ranking de 65 países. No topo da lista estão China, Cingapura e Hong Kong.
Se a meta é fazer com que a produção de ciência e tecnologia acompanhe o crescimento econômico do Brasil, essa intolerância à matemática precisa ser combatida com urgência, dizem os especialistas.

E a mudança precisa começar na sala aula. Mas não naquela que as crianças frequentam. A reforma deve ocorrer, primeiramente, nas classes das universidades que formam os futuros professores do País.



O desafio começa na formação dos docentes que dão aulas para o ensino fundamental 1. No Brasil, os professores do 1.º ao 5.º ano são polivalentes, isto é, responsáveis pelo conteúdo de todas as disciplinas e, por isso, não têm uma formação específica. Entre eles, poucos estudaram exatas. "Além de ter de dar conta de todas as matérias, muitos trazem a tradição brasileira de não gostar de matemática", diz Priscila Monteiro, consultora pedagógica para a área de matemática da Fundação Victor Civita.

Para esses, segundo a especialista, falta conhecimento. "Ele sabe ensinar, mas, como não domina o conteúdo, acaba preso às regras. Logo, a criança aprende de forma arbitrária, sem lógica." Priscila conta que, numa análise de cadernos de estudantes, constatou que, nas questões de matemática, sempre havia a resposta, nunca o processo de resolução. "Desse jeito, o aluno não constrói uma postura investigativa."

Problema oposto ocorre com os docentes do ciclo 2 do ensino fundamental, que dão aula para estudantes do 6.º ao 9.º ano. "Nesse caso, o professor de matemática é formado na área, tem conteúdo, mas lhe falta didática. Daí, ele se foca naqueles alunos que acompanham a aula e os outros continuam parados, aumenta o vale entre eles," diz Priscila.


Mudanças

Para tratar de propostas e materiais para o ensino de matemática, o Instituto Alfa e Beto (IAB) promove, em agosto, um seminário internacional sobre o tema, voltado a professores e coordenadores pedagógicos. "Vamos discutir a forma de ensino: o material pedagógico que usamos é adequado? Qual o tempo de aula ideal? A fração tem que ser ensinada em forma de pizza? Decora ou não tabuada?", elenca João Batista Araujo e Oliveira, presidente do IAB.

Um dos palestrantes é Daniel Willingham, professor de Psicologia Cognitiva da Universidade de Virgínia. "Estou certo de que todos são aptos a aprender matemática. Mas também estou certo de que é uma disciplina mais abstrata e, por isso, mais difícil de ensinar do que as outras."

Para outro convidado do evento, Hung-Hsi Wu, da Universidade da Califórnia, a dificuldade existe porque o aprendizado não é "natural". "A criança aprende a falar sem esforço especial, mas matemática é uma arte difícil. Se não for ensinada por quem sabe, se torna assustadora. Mas, se for uma descoberta bem guiada, pode ser surpreendente."

Efeito cascata

Formar alunos com gosto pela matemática pode ajudar a resolver até mesmo a carência de professores da disciplina. Nos vestibulares da USP e da Unesp, por exemplo, a concorrência para licenciatura na área é de cerca de dois candidatos por vaga. No País há 59 mil professores formados em Matemática para 211 mil com formação em Letras. Somado a isso, muitos dos formados passam longe da escola. A baixa remuneração paga aos professores não atrai esses profissionais e muitos optam, por exemplo, pelo trabalho na rede bancária.


Comparação

4 em cada 10 jovens brasileiros de 15 anos não sabem fazer uma operação de multiplicação, habilidade ensinada até o 5º ano do ensino fundamental.

30 mil engenheiros se formam ao ano no Brasil. O número representa 23 engenheiros para cada 10 mil habitantes. Em Israel, o índice chega a 140. No Japão, são 75


 
Caro leitor, o que você achou desse matéria?
 
Gostaria de acrescenta algo?

Participe, deixe seu comentário.



Referência:

Ocimara Balmant, Especial para o Estado - O Estado de S.Paulo
Imagem: Keiny Andrade/AE-4/12/2009
Montangem: Matheusmáthica

 

A raia elétrica


A raia elétrica é o animal que mais dá choque. Nenhum outro animal carrega uma carga elétrica como a sua. Quando atacada, uma raia de 3 metros pode soltar uma carga elétrica de 800 volts. Quanto maior a raia, maior é sua carga elétrica.

A força de choque de uma raia elétrica é tão forte que pode atingir as suas vítimas a uma distância de até 4 metros.

Mergulhadores são advertidos para evitar contato com esta raia, pois um choque de 45 volts ou mais é suficiente para desmaiar um adulto. 


Referência: