MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

terça-feira, 29 de junho de 2010

Marie-Sophie Germain

 Marie-Sophie  Germain (1776 - 1831)

Marie-Sophie

Matemática francesa nascida em Paris no ano de 1776, a primeira mulher que, não sendo a esposa de um membro, podia participar das conferências da Académie des Sciences de Paris. Filha de um comerciante bem sucedido adquiriu o gosto pela matemática ainda criança e, por ser mulher, teve que ser autodidata, mas contou com o incentivo do pai. Dedicou-se inicialmente a estudar os trabalhos de Leonhard Euler (1707-1783) e Isaac Newton (1643-1727). Tinha 18 anos quando foi aberta a École Polytechnique de Paris (1794), um centro de excelência para a formação de matemáticos e cientistas reservado exclusivamente para homens.

Para poder entrar na academia, assumiu clandestinamente a identidade do Monsieur Antoine-August Le Blanc, quando este deixou Paris e sem que o mesmo soubesse, e passou a colaborar continuamente com suas respostas aos problemas, como se fosse Le Blanc. O supervisor do curso, Joseph-Louis Lagrange (1736-1813), surpreso com a repentina e extraordinária subida de qualidade do antes medíocre aluno, solicitou-lhe um encontro e, assim, ela foi descoberta.

No entanto Lagrange tornou-se seu mentor e amigo e, finalmente, ela teve um professor de alto nível para orientá-la em sua atividades. Embora já tivesse uma certa reputação em Paris, por ser mulher ainda continuou empregando seu pseudônimo sempre que lhe convinha, principalmente quando tratava de corresponder-se com outros matemático de renome de outros países. A correspondência de Sophie com o matemático Adrien-Marie Legendre trouxe uma contribuição importante para a Teoria dos Números. Ela também se destacou nos estudos da Matemática Pura, da Matemática Aplicada.

Depois dos 30 anos de idade, mudou seus interesses para a física, disciplina na qual também foi brilhante, por exemplo, dando importantes contribuições para a moderna teoria da elasticidade, apesar de continuar sofrendo dos mesmos preconceitos antifeministas. Seus estudos para estabelecer a teoria da elasticidade dos metais foram fundamentais para a construção da Torre Eiffel, mas por preconceito seu nome foi omitido da relação dos 72 sábios cujas pesquisas contribuíram definitivamente para a construção do famigerado e notável monumento.

Sophie demonstrou o último teorema de Fermat (1601 - 1665)  para alguns valores específicos de números primos, que ficaram conhecidos por "Primos de Sophie Germain". Estes números primos caracterizam-se pelo fato de o seu dobro mais a unidade constituirem também números primos. Devido a essas pesquisas recebeu uma medalha do Instituto de França.

A convite do amigo e admirador Carl Gauss (1777-1855), iria receber o grau honorário da Universidade de Göttingen, mas antes que a universidade lhe tivesse concedido a honraria, morreu de câncer no seio, em Paris. Antes de morrer, Sophie escreveu um ensaio sobre a filosofia da ciência, que foi elogiado pelo filósofo Augusto Comte. Nunca se casou, e sendo uma das mulheres mais crânio de todos os tempos, teve a notícia oficial de sua morte publicada como uma solteira sem profissão.

Referências:

http://ecalculo.if.usp.br/historia/marie_sophie.htm 

Nenhum comentário:

Postar um comentário