MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

quinta-feira, 11 de março de 2010

Símbolo de Multiplicação "×"

O símbolo de multiplicação  × (xis ou vezes) pode também ser representado por:

  • ou por · (um ponto situado a meia altura)
  • ou um * (asterisco)

Ou seja:

5 × 4  = 5 · 4 = 5 * 4


O sinal do produto deriva da utilização do símbolo da cruz de San Andrés para os cálculos de proporções na antiguidade. O clérigo inglês William Oughtred, que viveu entre fins do Século XVI e princípios do XVII, usou este símbolo e o propôs, entre muitos outros, para designar as operações de multiplicação, empregou-o pela primeira vez, no livro Clavis Matematicae publicado em 1631.

Ainda em 1631, Harriot, para indicar também o produto a efetuar, colocava um ponto entre os fatores. Em 1637, Descartes já se limitava a escrever os fatores justapostos, indicando, desse modo abreviado, um produto qualquer. Contudo, o ponto foi introduzido como um símbolo para a multiplicação por Leibniz. Julho em 29, 1698, a qual  escreveu em uma carta a John Bernoulli:

"eu não gosto de × como um símbolo para a multiplicação, porque é confundida facilmente com ×; freqüentemente eu relaciono o produto entre duas quantidades por um ponto ".

Assim, Leibniz decidiu utilizar o ponto simples para indicar multiplicação "·", que também se utiliza na atualidade para o produto. De acordo, a Venturi, o simbolo "×" é provável que seja originário de uma alteração do símbolo de +.

O asterisco que é usado frequentemente em computação pois está presente em praticamento todos os tipos de teclado. O sinal do asterisco vem da linguagem de programação FORTRAN, uma linguagem de máquina desenvolvida a partir da década de 1950 e que continua a ser usada hoje em dia, porém,  o asterisco não é usado quando escrevemos matemática à mão, pois não é um símbolo matemático mas sim um operador de multiplicação.

Referência:

Site: Só Matemática
Venturi, Jacir J. Álgebra Vetorial e Geometria Analítica. 9º ed. Curitiba-PR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário