MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

sexta-feira, 23 de julho de 2010

MAXIMA

O Maxima é uma linguagem computacional que permite realizar cálculos numéricos e simbólicos,  representações  gráficas  e  efectuar  programação,  possuindo  uma  grande variedade de comandos para os mais variados  fins em Matemática e aplicações. É um software de livre acesso, disponível para os sistemas operativos usuais, isto é, para cálculos matemáticos, semelhante ao MatLab e ao Mathematica. Trata-se de um sistema de álgebra computacional para manipulação de expressões simbólicas e numéricas, incluindo a diferenciação, integração, série de Taylor, transformações de La Place, equações diferenciais ordinárias, sistemas de equações lineares, polinomiais, e séries, listas, vetores, matrizes. O Maxima produz resultados precisos usando seu sistema especial de “floating” e pode trabalhar com funções e dados em duas ou três dimensões.
 
Maxima  é  derivado  do  sistema  Macsyma,  o  sistema  legendário  da  álgebra  do computador  desenvolvido  nos  anos  de  1968  a  1982  no  Instituto  de  Tecnologia  de Massachusetts como parte do Projeto MAC. MIT remanejou uma cópia do código fonte do Macsyma para o Departamento de Energia em 1982; aquela versão é agora conhecida como Macsyma DOE. Uma cópia do Macsyma DOE (Departamento de Energia) foi mantida pelo Professor William F. Schelter da Universidade do Texas de 1982 até sua morte em 2001.
Em  1998,  Schelter  obteve  permissão  do Departamento  de  Energia  para  liberar  o  código fonte  do Macsyma  DOE  sob  a  Licença  Pública  GNU,  e  em  2000  ele  iniciou  o  projeto Maxima  no  SourceForge  para  manter  e  desenvolver  o Macsyma  DOE,  agora  chamado Maxima.

O Maxima é um potente software, que permite:

I.  Efectuar cálculos numéricos e simbólicos;
II.  Traçar gráficos bidimensionais e tridimensionais;
III.  Elaborar implementações computacionais eficientes e precisas;


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário