MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Construindo um Tetraedro com canudos de refrigerante

Salientamos que o Tetraedro é poliedro de quatro faces que possui 6 arestas e 4 vértices.

Vamos precisar de:
  • 6 canudos plásticos de refrigerantes;
  • Um carretel de linha grossa;
  • Uma agulha grossa. 


Construção de um Tetraedro regular

Ligar um canudo ao outro pode parecer algo complicado a princípio, mas essa tarefa ficará mais fácil depois de algumas tentativas.

Para começar a construção da estrutura deve-se iniciar pela base (alicerce), que é um triângulo. Como o tetraedro é regular então o triângulo deverá ser equilátero. 

A construção da base começa passando-se o barbante por três canudos (observe na figura a opção 1).

Depois de passar o barbante pelos canudos passa-se novamente pelo primeiro canudo da fileira. Desse jeito não será preciso dar um nó, ainda (observe na figura a opção 2).

Concluída esta etapa já podemos levantar o tetraedro, que também é uma pirâmide de base triangular.

Pegamos a ponta do barbante que acabamos de passar pelo canudo da base e passamos por dois outros canudos (observe na figura a opção 3).

Em seguida passamos o barbante por mais um canudo da base (observe na figura a opção 4)


Quando a ponta sairá na outra extremidade e poderemos passá-la pelo último canudo (observe na figura a opção 5).

Assim como fizemos para fechar o triângulo da base, faremos para fechar o tetraedro. Ou seja, passaremos mais uma vez o barbante por dentro do canudo (observe na figura a opção 6) e pelo pedaço que ainda resta (observe na figura a opção 7), basta  fechar a estrutura com um nó. Com isso as extremidades adjacentes dos canudos ficarão conectadas (observe na figura a opção 8).

Resumo

Os esquemas que esta na figuras abaixo é um resumo do que devemos fazer e indicaremos por o sentido em que a linha deve ser inserida num canudo vazio.


Nas construções das estruturas é importante observar que, para se dar firmeza aos vértices de uma estrutura, é necessário reforçá-los, passando o fio de linha mais de uma vez por cada pedaço de canudo, ligando-o aos outros dois.



Referências:

Kaleff, Ana Maria. Rei, Dulce Monteir. Vendo  e entendendo poliedros:  do desenho ao  cálculo do volume através de quebra-cabeças e outros materiais concretos. 2ª ed. Niterói, EDUFF, 2003.

Site: Mais Fácil Impossível

2 comentários: